ESPECIAL PUBLICITÁRIO

conheça o will,
o banco digital feito de pessoa para pessoa

O TechTudo conheceu de perto o mais novo banco digital brasileiro: o will bank

quero ser will

A fintech iniciou a etapa de cadastro para quem quer se conectar à comunidade dos willers e usar produtos e serviços como:

  • + conta digital que rende acima da poupança
  • + cartão Mastercard de débito e crédito, nas versões físico e digital e com validade nacional e internacional
  • + saques na rede Banco24Horas
  • + transferências grátis

Ousado, o will bank leva tecnologia, inovação, segurança e todas as vantagens do banco na "palma da mão" a um número maior de brasileiros, especialmente aos que estão fora do sistema bancário ou não se sentem bem atendidos pelas instituições atuais.

O que diz o CEO,
Felipe Felix?

Segundo o CEO da fintech, Felipe Felix, todos os serviços e produtos do will foram pensados de pessoa para pessoa.

“Somos únicos porque conseguimos simplificar a linguagem das finanças e entregar produtos e serviços do mercado financeiro para todos os tipos de cliente. Os bancos tradicionais e digitais não têm isso como prioridade”

De acordo com ele, o banco digital nasceu para dar ao usuário uma experiência mais fácil, intuitiva e zero burocrática

“Vamos conversar com o cliente pelo app, o site e até as redes sociais para ajudá-lo a entender cada sigla e conceito por trás de sua conta corrente, como CDB e CDI, por exemplo. Dessa forma, vamos contribuir para suavizar a relação entre as pessoas e suas finanças.”

Por que will?

O will foi pensado para tornar a relação do brasileiro com o dinheiro mais prazerosa.

“Estamos construindo uma marca moderna e, ao mesmo tempo, empática, que tem como missão estabelecer uma parceria verdadeiramente próxima com os brasileiros, sempre facilitando a relação das pessoas com as suas finanças”,



conta Daniel Feitoza, CMO do banco digital, que chegou à fintech depois de passar pelas maiores agências de publicidade do país e pelo marketing da cervejaria Ambev.

Sem medo de
investir

Felix destaca que o cliente que abre uma conta no will bank já está investindo num Certificado de Depósitos Bancários (CDB), produto financeiro com risco zero, rendimento garantido e assegurado pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

“O investimento por meio da conta remunerada tem operação tão fácil quanto à da poupança, o produto financeiro mais conhecido dos brasileiros, só que com rendimento superior”, diz o CEO.

é tudo 0800

Outra inovação do will bank é a eliminação da anuidade e das tarifas administrativas

de cartões Mastercard, seja para débito, crédito, uso nacional ou internacional e em versões física e digital.

saques na rede Banco24Horas, transferências para outros bancos e conta para pagamentos também são de graça.

Além disso, a fintech conta com a tecnologia sem contato (contactless), tão importante em tempos de pandemia. Tudo isso se traduz em produtos e serviços mais democráticos e abrangentes à população brasileira. E não é por acaso.

O lançamento chega com a experiência acumulada com a fintech pag!, que oferece cartões de crédito e débito e conta digital. Os mais de 1,3 milhão de cartões emitidos nos últimos três anos movimentaram R$ 2,7 bilhões no ano passado.

A simplicidade
é o segredo!

A aprovação do pag! foi comprovada pelo ranking “As Melhores Empresas para o Consumidor”, parceria da revista Época Negócios com o portal Reclame Aqui. Nos últimos três anos, a fintech esteve entre os três melhores bancos digitais do País. Outro detalhe importante é que 83% dos clientes aprovam tanto o produto que o recomendariam para outras pessoas.

O pag! foi pioneiro ao levar serviços e produtos financeiros aos desbancarizados, quase um terço da população brasileira, de acordo com levantamento do Instituto Locomotiva. Em cada 10 clientes da fintech, quatro não possuíam nenhum produto ou serviço do ramo e 80% são de cidades com menos de 100 mil habitantes.

Tudo isso resultou na criação do will. A operação está cercada de muita segurança. A garantia vem da tecnologia de ponta, com vantagens extras como mais rapidez para abertura de conta em menos de cinco minutos e índice de aprovação de cadastro maior que o de outras fintechs.

“O will bank vai ajudar os clientes a alcançarem seus objetivos. Produtos e serviços financeiros são ferramentas para isso, como o investimento simplificado”, detalha o CFO, responsável pelas áreas de tesouraria, planejamento financeiro, controladoria e jurídica da empresa, Ricardo Saad Neto.

O engenheiro naval que ajudou a construir um banco digital

Nascido na Paraíba, mas maranhense de criação, Felipe Felix mudou-se para São Paulo aos 17 anos para estudar engenharia naval na Escola Politécnica da USP.

Formou-se na área, mas não chegou a projetar ou construir navios. Diferentemente disso, já no segundo ano da faculdade, ele começou a trabalhar na área de riscos de um banco.

Após deixar esse banco em 2014, Felipe Felix foi para a Avista Cartões e lá encontrou espaço para seu lado empreendedor e fundou o pag!, que hoje é uma das três maiores fintechs do Brasil.

Fintechs
continuam crescendo

As fintechs e seu modelo digital ganham cada vez mais destaque no mercado financeiro. Este ano, o Distrito Fintech Report, estudo da empresa de inovação Distrito, apontou 742 empresas deste tipo, 34,1% mais do que no ano passado. Outra pesquisa, da MindMiners, mostra que o número de consumidores usando produtos e serviços das fintechs mais que dobrou em dois anos: eram 25% dos entrevistados em 2017 e 55% em 2019.

O principal motivo são as tarifas baixas, apontado por 45% do total. Bom atendimento (29%), pouca burocracia (23%) e experiência digital (22%) atraíram clientes insatisfeitos com os bancos tradicionais – para 47% do público, as fintechs superam as instituições convencionais.

A questão é que a maioria das startups ainda usa a mesma linguagem financeira inatingível para o consumidor comum. A linguagem simplificada do will chega para mudar esse quadro.